Terça, 18 de Junho de 2024
29°

Tempo limpo

Teresina, PI

Sergipe em Destaque Entre-Vistas

Entre-Vistas | Robério Santos

"tento seguir por conta própria, trazendo minha literatura como algo novo."...

13/05/2023 às 12h30
Por: Redação Fonte: Cyntia Menezes
Compartilhe:
Capa: @sthevaoygor
Capa: @sthevaoygor

Robério Santos

Escritor-Cineasta-Ator-Jornalista

 

Robério Santos, itabaianense arretado é o meu convidado da semana. Grande escritor, ator, cineasta, jornalista fotógrafo, professor de letras e ainda faz parte da Academia de Letras de Itabaiana, ocupando a cadeira 15, Ufa! é muita coisa. Podemos chama-lo de um homem multifacetado. Atualmente ele apresenta o programa “O Cangaço na Literatura” no canal YouTube. Autor de 28 livros sobre a cultura nordestina, seu livro “Marca” em breve estará nas telas de cinema, Robério também desempenha a função de consultor na rede Globo de televisão na novela “Guerreiros do Sol”, e do projeto “Júri Épico” em Petrolina- Pe. Um homem incansável  ele está em produção do seu próximo livro que será lançado ainda esse ano. Aguardem porque ainda  tem muito mais novidades vindo por aí desse grande homem valente.

 

Cyntia Menezes-

*Quando, onde e como começou a sua história com a escrita? 

 

Robério Santos-

*Iniciei minha trajetória como escritor ainda na escola em Nossa Senhora Aparecida-SE, na infância, eu desenhava personagens da Disney em folhas de papel, grampeava e vendia na 2ª série primária em 1989. Com as moedas, eu lanchava meu pastel com suco. Na adolescência eu já sabia que queria ser escritor, então comecei a escrever livros infantis. Meu primeiro foi  “O Jacaré e o Passarinho”  em 1994. Enveredei pela poesia em 1999 e hoje escrevo romances históricos.  

 

Cyntia Menezes-

*Você se inspirou em algum autor para suas histórias ou apenas começou seus próprios escritos a partir da sua concepção de mundo? 

 

Robério Santos-

*Todo escritor é um bom leitor, não tem por onde escapar. Minha primeira inspiração foi Jorge Amado, que eu o conheci em Estância-SE no início da década de 90 e já li toda sua obra. Chico Dantas e Maria Lúcia Dal Farra também me ajudaram muito a seguir por este caminho. Mas, meu grande mestre sem dúvidas sempre será Machado de Assis, que tenho toda sua obra (juro que ainda não li por completo), e visitei sua sepultura recentemente no Rio de Janeiro. Mas, também tento seguir por conta própria, trazendo minha literatura como algo novo. 

 

Cyntia Menezes-

*Quantas obras literárias  você já escreveu? O que você escuta quando está escrevendo e como costuma compor seus personagens? 

 

Robério Santos-

*Já publiquei 28 livros, mas escrevi outros 34 que se mantém inéditos, impressos e bem guardados. Quando escrevo atualmente eu coloco um fone de ouvido especial que isola todo o som externo, assim nada atrapalha ou tira minha atenção. Antigamente eu escrevia ouvindo Bach, mas devido a alguns problemas de saúde, prefiro me isolar do Mundo. Escrever é tudo pra mim. Eu viajo o país inteiro, fisicamente e espiritualmente. Aqui ou ali encontro personagens incríveis e histórias bárbaras que me inspiram a produzir mais e mais. Nunca quero parar de escrever.   

 

Cyntia Menezes-

*Existe alguma preocupação em você com relação ao material antes da publicação de um livro seu? 

 

Robério Santos-

*Claro. A principal delas é: “quem estiver lendo vai me entender?”. Pronto, este é o conceito básico. Entre duas palavras sinônimas, busco a mais fácil de ser entendida, é a Navalha de Occam funcionando em minha vida. Também me preocupo se esta obra terá sua importância para as gerações futuras, pois eu não escrevo o que as pessoas querem, mas o que elas precisam.   

 

Cyntia  Menezes-

*Seu livro “Marca” vai sair das páginas e ganhar  vida no cinema! Nos fala sobre esse projeto, quais suas expectativas e qual a importância do ator Jackson Antunes nessa obra? 

 

Robério Santos-

*Marca é meu xodó. Quando escrevi entre 2018 e 2019, eu sabia que um dia seria transformado em filme. Tanto é que em minha apresentação em suas páginas eu comento isso. Sou muito positivo em tudo. Jackson Antunes é um grande amigo, passamos um dia maravilhoso em sua casa recentemente no Rio e já havíamos conversado muito sobre este projeto. Nele também temos a Cris, sua esposa; o Samuca na produção; o Rogério Sagui na direção e a atriz Isadora Cruz no papel da Marca. Jackson fará seu antagonista, o Bolero. É aguardar para ver.  

 

Cyntia Menezes-

*O livro “Marca” já gerou um filho: “Marco”, sua mais recente obra literária. Também virará filme? Nos conta.

 

Robério Santos-

*Tudo dependerá do sucesso de Marca nas telonas e nos streamings. Se tudo der certo, teremos Marco como segundo filme e Bolero fechando a trilogia. Bolero sairá em 2025 em livro. 

 

Cyntia Menezes-

*Vamos falar de YouTube. Você possui um canal chamado “O Cangaço na Literatura”, que hoje passa dos 300 mil seguidores. Como surgiu seu  interesse pelo Cangaço e qual a principal finalidade do seu canal?

 

Robério Santos-

*Meu interesse pelo cangaço foi igual a todo sertanejo que gosta do tema: ouvindo as histórias dos nossos avós. Como bom sertanejo, aprendi a estudar (não venerar) a história dos cangaceiros, volantes, padres, coiteiros, Estado, civis, rastejadores e todos  os elementos do tema. Sobre o canal, chegamos a 50 milhões de visualizações no mesmo dia em que atingimos a marca de 300 mil inscritos, no mesmo mês  que completaremos 6 anos de existência em 18 de maio de 2023. Fomos ousados, pois montar numa moto e sair pelo sertão em busca de histórias sem 1 real de patrocínio foi quase um surto. Tudo caro: livros, gasolina, hotel, comida, água, tudo! Mas, com o tempo conseguimos vencer as dificuldades e chegamos a 17 estados gravando programas e 170 mil km rodados. No segundo semestre estaremos começando a fase internacional, aí vamos testar o alcance do tema cangaço. 

 

Cyntia Menezes-

*Hoje Robério Santos é o mais novo convidado da Rede Globo para comandar uma importante consultoria da próxima novela  “Guerreiros do Sol”.  O que exatamente é a sua função e qual a importância desse trabalho para uma novela? 

 

Robério Santos-

*Fui convidado este ano para dar suporte na produção da nova novela Guerreiros do Sol. Ao lado do mestre Frederico Pernambucano de Mello, estamos trazendo o maior realismo histórico para esta produção que está marcada para 2024. No último dia 24 de abril estive pessoalmente na Rede Globo entrevistando Frederico diante  de todo o elenco e produtores, foi um momento mágico em minha carreira. Acredito que opinar o mais real possível numa consultoria histórica vale a pena sim, pois os anacronismos diminuirão e isso quem ganha é o público e a própria emissora.    

 

Cyntia Menezes-

*Um passarinho me contou que os trabalhos não vão parar por aí..  o que mais de novidades podemos esperar dos seus próximos projetos na Tv? 

 

Cyntia Menezes-

*Na Globo estarei à disposição, nada tenho em vista por enquanto. Mas já recebi um convite para uma nova série que não posso por enquanto comentar, mas a proposta veio do ator Jaedson Bahia (o Língua de Sogra da novela Mar do Sertão da Rede Globo), que tive o prazer de conhece-lo nesta última viagem ao Rio. 

 

Cyntia Menezes-

*A vida artística não é fácil, seja em qual âmbito for, o que você diria para todos que estão nessa caminhada e que de alguma maneira se sentem sem esperança de sucesso? 

 

Robério Santos-

*Se a pessoa se sente sem esperança de sucesso ela está fadada ao fracasso. Tem que produzir sempre, pouco ou muito. Não pode ficar de olho no trabalho alheio, foco no próprio e nem tão pouco já pensando no sucesso imediato. Lembra da história do jardim? Se plantar flores, as borboletas vem, nem precisa ir atrás. Eu nem comecei ainda, mesmo tendo 23 anos de trabalho. Foco, sempre foco! 

 

Cyber Menezes-

*Você já tem algum livro em andamento? Quais os próximos passos de Robério?

 

Robério Santos-

*Tenho dois livros em andamento: 77.15.32 que será lançado no próximo agosto de 2023 na bienal de Alagoas. Será sobre as 3 grandes secas no Ceará e os Campos de Concentração. Em outubro, teremos meu primeiro quadrinho, O Conselheiro sobre a passagem de Antonio Conselheiro por Sergipe. Ele terá o traço de Ronald Guimarães, o mesmo que fez as ilustrações de Marca e Marco.

 

 

 

Direto ao Ponto

*Um filme- Contato (1997)

*Um livro- Marca (2020)

*Um lugar- Minha biblioteca 

*Um ídolo- Meu pai 

*Uma música- Bolero de Isabel 

*Uma lembrança- nascimento de meu filho

 *Uma comida- cuscuz 

*Uma bebida- café 

*Um medo- parar de escrever 

*Um cheiro- petricor 

*Uma alegria- viver 

*Uma palavra favorita- Atlas

*Um lazer- ler 

*Um lugar inesquecível- Meu sítio

*Uma frase- “Nunca desista!”

 

NO DIVÃ

Ser mãe e a realidade de fato

Sabemos que a língua portuguesa deriva do latim. Por isso, a palavra mãe provém da palavra “mater”. Nos primeiros séculos da língua portuguesa, mãe era “madre” e depois evoluiu para a palavra atual. A origem é a mesma das palavras comadre que significa “com a mãe”, madrasta significa “segunda mãe” e  madrinha  que começou por ser um diminutivo de madre e aos poucos foi adquirindo  o significado que tem  hoje. A esta palavra em latim, “mater”, estão associados outras duas: mamma que significa “seio” e mammare  que significa “mamar”. Em uma pesquisa relatada em 2010 pela Universidade de Reading  no Reino Unido,  os resultados indicam que todas as crianças, particularmente os meninos que não têm um vínculo forte com suas mães, têm mais problemas comportamentais.  Além disso, as considerações de Kate Stone Lombardi são muito interessantes. A autora de “O Mito dos Garotos da Mamãe: Por que manter nossos filhos próximos os torna mais fortes” disse que os perfis de meninos que apresentamos mais acima crescem apresentando comportamento hostil, agressivo e destrutivo. Assim, meninos que têm um vínculo próximo com suas mães tendem a evitar futuros comportamentos delinquentes. A teoria do apego afirma que as crianças que têm um forte apego aos pais se sentem apoiadas e confortadas por eles. No entanto, as crianças que são rejeitadas ou que recebem cuidados e conforto de maneira inconsistente tendem a desenvolver  problemas comportamentais. Apesar de todo esse aporte teórico, muitas pessoas acreditam que excessos na maternidade produz meninos mimados e sem atitude. Hoje sabemos que possui lados em que os traumas de nascimento não ocorre somente por parte da criança mas também  para a mãe, e está cada vez mais comum a mulher refletir= sobre o ato de ser mãe. Se faz necessário essa discussão pois sempre nas mídias e revistas apresentam somente o lado perfeito e belo, não mostrando as vezes a realidade mais próxima do que de fato é. Porém, sabemos da grandiosidade de ser mãe e de ter essa incrível capacidade de gerar um, filhos. Feliz dia das mães em nome do jornal Zona Sul de Sergipe.

Colaborador

Psicanalista Marcos Souza

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários